sexta-feira, 31 de outubro de 2008

COMO FOI QUINZENA CULTURAL XUBBA - POR ROCK POTIGUAR


Conteúdo: RockPotiguar.com.br

Texto Por Shilton Roque

Fotos por Lado R

Ribeira movimentada, uma boa galera já se encontrava em frente ao DoSol. Enquanto isso o rock começava dentro do Centro Cultural. Infelizmente não pude conferir o show dos Bonnies. Após a apresentação destes sobe ao palco o Distro.

Show repleto de músicas pertencentes ao novo trabalho da banda, mas com algumas músicas já conhecidas da galera em função da boa divulgação do DVD “Natal Rock Sessions”. Entre uma tiração de onda de Rafaum e seus miados a banda tocou músicas como “Gente Grande”, “Pimba”, “O Poder da Visão” e “O pulo do gato”. Pude perceber que mesmo as músicas sendo novas uma galera já cantava, haja vista, a boa divulgação do MySpace da banda. Show muito bom mesmo, sonzeira do início ao fim, o que não foi muito legal foram pequenos problemas técnicos no final e o fato de ter muita gente no centro cultural, mas maioria ter ficado na parte do bar.

Após o showzão da Distro sobe ao palco o Macaco Bong (MT). O quadro se inverte no DoSol e a galera que estava no bar corre para se amontoar na frente do palco. Nessa hora o DoSol já estava bastante cheio. Com seu rock instrumental, muito bem feito diga-se de passagem, a banda arrancou aplausos e gritos fervorosos da platéia que teve a oportunidade de ver um puta show. A presença de palco do guitarra e o jeito de tocar do batera fez rolar uma energia massa no show, foi mais um tempero para a grande apresentação dos caras. Foi alto nível mesmo, sem palavras para descrever, por sinal assim que acabou o show do trio matogrossense só o que era visto no DoSol era a galera “de bobeira” comentando o que tinha acabado de presenciar.

Sai de cena a galera de Cuiabá e sobe ao palco mais uma banda lançando cd: o Vitrola. A banda começa o show de uma maneira diferente, com um projeto intitulado ” Vitrola e os forasteiros”. A banda apresenta uma música composta pelo vocal em parceria com seu irmão e com a participação de “Coração” tocando guitarra e viola. Após isso os potiguares voltam a sua formação original e fazem o rock que lhes é característico. Apresentando seu novo cd “Continuo a Rodar” o Vitrola arrancou aplausos da galera e fez algumas pessoas dançarem. Infelizmente após o show do Macaco Bong muita gente saiu do bar e perdeu esse show. No mais foi puro rock, várias participações e algumas músicas com presença de violão e viola.

Se já tinha pouca gente no show do Vitrola, na hora do Fewell tocar ai que não sobrou ninguém no bar. Para uma galera de se contar nos dedos o quarteto fez um show para ninguém botar defeito. Logo de início percebi uma mudança nos vocais da banda, onde o baixista passou a fazer agora os vocais. Com o desenrolar do show percebi uma mudança também na questão musical da banda: novas músicas em português foram adicionadas, algumas partes em músicas, algumas introduções de músicas foram modificadas e prolongadas. O show teve direito até a pedido de bis (isso às 4 da manhã) e ao público cantando músicas da banda. Apesar da ausência de pessoas, Pedro, agora guitarra e backing vocal, tocou bastante instigado e a banda no geral fez uma apresentação do caralhu (Ponto para o Fewell).

Enfim, foi muito positivo esse evento da Xubba, excelentes shows, boa presença da galera, e mais bandas potiguares lançando bons materiais. Isso faz movimentar e fortalecer a cena. Parabéns a Xubba e as bandas.

Um comentário:

Renato disse...

Texto irado !!!!!