segunda-feira, 30 de março de 2009

COMO FOI NORDESTE INDIE NATAL(RN)









Texto por Vini D`Luca
Fotos por Jomar Dantas
PRIMEIRO DIA

O evento começou com aquele velho atraso esperado (30min), o som começou com o The Automatics, banda muito boa e deu pra começar a esquentar as coisas, apesar de ter muita gente fora do Dosol, na minha humilde opinião é a banda mais britânica da cena roqueira natalense. Show redondo.

Logo em seguida sobe ao palco o Venice Under Water, se eles são os filhotes do Calistoga, seus pais podem ficar orgulhosos, show muito bom, apesar de um problema técnico na bateria, mas não tirou méritos.

Bugs é o tipo de banda que eu sou suspeito pra falar. Sempre curti o trabalho deles, são uma das bandas mais antigas e que a pouco tempo voltou com tudo. espero que continuem. o show coeso com o instrumental sempre impecável.

O Malaquias em Perigo, vindo da Paraíba tem um som meio complicado de se dizer, é uma junção de vários estilos que remetem de Queens of The Stone Age até Mars Volta, o show foi legal, psicodélico demais. Cerva Grátis conterrâneos da banda anterior sobe ao palco, quando iniciou eu pensei que seria mais um filhote do Matanza, mas daí eu percebi que eles são muito mais divertidos, lembra os Pedrero o som, só que mais limpo e organizado, gostei do que vi, os caras são bons no que fazem, rock sarcástico e direto.


Pra fechar a noite tivemos o show do Calistoga. Se os caras prometeram algo que não cumpriram eu não vi, talvez a galera ainda não consiga entender o que é o som da banda e bem, não é algo que se ensine, quem não viu um show perdeu uma energia de dar inveja, tocaram dois sons novos e músicas dos seus dois últimos trabalhos, destaque para “Sanity Seeker” com participação de Rafael Brasil (ex-Camarones, ex-W.A.L.D) na guitarra enquanto Dante assumia apenas os vocais em um final de show lisérgicamente épico.

SEGUNDO DIA

O som começou com o Driveout que daí eu não vou resenhar por motivos óbvios (toco na banda). O Fewell vem logo em seguida com uma nova formação, novas canções e mudanças drásticas no seu som. Se antes eles tinham um som muito parecido com Sparta e bandas de Post-Hardcore dessa safra, nas novas canções temos uma mistura de tudo o que eles já fizeram com uns riffs de guitarra mais pesados.

Distro sobe pra tocar seu Power-Pop mesmo com um de seus frontmans doente fez um show bem redondo tocando músicas do seu último trabalho principalmente, destaque para o inusitado cover de Neil Young.

The Keith vindo direto de Pernambuco fez um som na linha “Strokes Meets Artic Monkeys”, show coeso, tudo bem timbrado e presença típica desse “Garage Rock”, tão no caminho certo. Gandharva também de Recife faz um som alternativo bem “90’s”, destaque para os vocais do show, tudo bem colocado, boas canções, foi uma surpresa, quando vi o nome da banda nunca imaginei que tocassem esse tipo de som.

Domben por ironia foi a banda mais “pernambucana” da noite, com um som que nos remete a Los Hermanos, fizeram um show legal, não sou dos maiores fãs do estilo, mas musicalmente eles estão melhorando a cada apresentação, a última que eu tinha visto foi em um dos eventos do Coletivo Noize, a evolução foi notória.

PS DOSOL: O Show do Driveout, o segundo com a nova formação, foi bacana e mostrou que a banda pode ser um dos destaques do ano na cena local. Agora é tentar manter o ritmo de shows e divulgar bastante o trabalho novo.

Um comentário:

Brasil in line Hockey Blog disse...

caras, escutem o último cd do Instiga...acho que podem gostar..curiosamente se chama "Tenho uma banda" e da para baixar no site deles..www.instiga.com

gostei do blog!